follow me on Twitter

Post Aleatório

A Carregar...
Gadget by The Blog Doctor.

15.1.14

Livros sobre música que vale a pena ler (e que eu tenho, lol) - Cromo #43: Vários - "Discoteca Ideal Música Clássica"


autor: Vários
título: Discoteca Ideal Música Clássica
editora: FNAC Portugal
nº de páginas: 338
isbn: N/A
data:????

sinopse: 


Discoteca Ideal - Música Clássica
A selecção de 258 obras desta discoteca ideal é o reflexo da escolha dos especialistas Fnac em música clássica.
Um especial agradecimento a Cristina Messias, vendedora especialista de música clássica da Fnac CascaiShopping e a Francisco Garcia, vendedor especialista de música clássica da Fnac Chiado.
Os especialistas Fnac estão sempre à sua disposição para qualquer pesquisa ou pedido complementar.
Introdução
Nada se pode substituir, na Música, à experiência mágica do concerto ao vivo. Mas o desenvolvimento do disco, sobretudo a partir da II Guerra Mundial, quando a tecnologia sonora se foi apurando de forma crescente com a introdução sucessiva de inovações como o LP ou a estereofonia, veio permitir o registo sistemático das obras de maiores dimensões até então reservadas à sala de concerto, a disponibilidade de múltiplas leituras das mesmas partituras por diferentes intérpretes, e de um modo geral um alargamento extraordinário do reportório gravado. O disco veio assim criar uma nova realidade, impensável ainda há pouco mais de meio século: a do acesso fácil à literatura musical de todo um milénio, do cantochão medieval às últimas produções dos compositores contemporâneos, registando ao mesmo tempo, para as obras centrais do cânone da Música erudita, uma multiplicidade de abordagens interpretativas sempre inesgotável e cada vez mais enriquecedora.
É claro que esta fruição musical por via fonográfica não substitui, como dizia, a experiência directa do concerto, mas constitui sem qualquer dúvida, por direito próprio, um outro manancial de fabulosas experiências artísticas a que, de resto, ,nenhum melómano poderia aceder ao vivo em tempo real, por maiores que fossem a sua mobilidade e os seus recursos.

Coloca-se agora um problema de natureza completamente diferente: face a um catálogo em constante expansão, em que às grandes empresas multinacionais se juntam a cada momento pequenas editoras locais, como navegar neste oceano de escolhas múltiplas? Por entre as dezenas (se não mesmo, em alguns casos, centenas) de versões disponíveis das obras-primas da História da Música erudita, como seleccionar à partida as leituras de referência, os intérpretes de excepção, os momentos de estado de graça - por assim dizer - da história do disco clássico? É evidente que não existem nesta matéria escolhas absolutas, e que em última análise o critério do gosto pessoal do ouvinte tem de ser o critério decisivo. Um melómano experiente depressa identifica afectos e cumplicidades musicais que são arreigadamente suas - o "grão" de uma certa voz, a força rítmica de uma certa batuta, a carga lírica de um certo fraseado ao piano, a força expressiva de uma certa sonoridade no violoncelo. E nascidas essas opções é a partir delas que decide percorrer o reportório, conduzido pelos seus intérpretes favoritos. A verdadeira "discoteca ideal" é sempre, afinal, a de cada um, a cada momento.
Só que o cruzamento das escolhas individuais acaba por criar núcleos de consenso. Os itinerários do gosto pessoal tendem a coincidir em momentos da história do disco que se revelam incontornáveis e que sobrevivem à sucessão das versões alternativas e aos caprichos da oferta do mercado. Quando Janet Baker e John Barbirolli se encontram nos Kindertotenlieder de Mahler há ali qualquer coisa de sublime e de perene que a cada vez que os ouvimos continua a deixar-nos um nó na garganta, por mais que gostemos muito de outras interpretações; e o mesmo sucede com o Triplo Concerto de Beethoven às mãos de Richter, Oistrakh, Rostropovitch e Karajan, co o Cravo Bem Temperado de Bach por Gustav Leonhardt, ou com o Tristão e Isolda de Wagner com Nilsson, Windgassen, Ludwig e Bohm.

É esse o propósito deste "Discoteca Ideal Música Clássica" que a FNAC agora nos oferece: o de nos lembrar um conjunto de instantes de excepção na produção discográfica maciça das últimas décadas, uma cartografia fundamental do universo aparentemente caótico do catálogo clássico, um elenco de visões interpretativas particularmente inspiradas e marcantes que o consenso da crítica identificou em torno do reportório essencial da História da Música ocidental. A escolha final só pode ser - repito - a de cada um de nós, mas estas grandes sugestões propostas pela FNAC têm sobre si, na maioria dos casos, o peso de um reconhecimento quase unânime que cada nova geração de ouvintes tem tendido a confirmar. Não participei no processo de selecção, mas reconheço-me em grande parte destas escolhas, e sei por experiência própria quantas horas de prazer de ouvir grande Música por grandes músicos se contem nesta lista.

Rui Vieira Nery
Musicólogo
Director-Adjunto do Serviço de Música da Fundação Calouste Gulbenkian




E aqui fica a lista dos 50 Essenciais






Bach
Concertos Brandenburg/Suiter Orquestrais
Goebel, Reinhard / Archiv
Bach
Paixão Segundo S. Mateus
Harnoncourt / Teldec
Bach
Suítes p/ Violoncelo
Pablo Casais / EMI
Bach
Variações Goldberg
G. Gould / Sony
Beethoven
Últimos Quartetos
Quarteto Alban Berg / EMI
Beethoven
Sonatas p/ Piano
Gilels / Deutsch Grammaphon
Beethoven
Sinfonia Nº 9
Furtwangler / EMI
Bizet
Carmen
Abbado / Deutsche Grammaphon
Brahms
Concerto p/ Piano 1 e 2
Gilels / Deutsche Grammaphon
Chopin
Nocturnos
Rubinstein / RCA
Chopin
Prelúdios
Lugansky / Warner
Fauré
Requiem
Herreweghe / Harmonia Mundi
Gershwin
Rhapsody In Blue
Previn / EMI
Handel
Messias
McCreesh / Decca
Handel
Water Music
Hogwood / Decca
Haydn
A Criação
Karajan / Deutsche Grammaphon
Haydn
Quartetos
Mosaiques / Naive
Mahler
Kindertoten Lieder
Baker/Barbiroli / EMI
Mahler
Sinfonia Nº 5
Boulez / Deutsche Grammaphon
Messiaen
Quarteto para o Fim dos Tempos
Ensemble Walter Boeykens / Harmonia Mundi
Monteverdi
Oitavo Livro de Madrigais
La Venexiana / Glossa
Mozart
Concertos p/ Piano 14, 17 e 21
Pires / Deutsche Grammaphon
Mozart
Flauta Mágica
Klemperer / EMI
Mozart
Requiem
Bohm / Deutsche Grammaphon
Part
Tabula Rasa
Kremer / ECM New Series
Pergolesi
Stabat Mater
Alessandrini / Naive
Prokofiev
Pedro e o Lobo
Arthaus
Puccini
Madame Butterfly
Karajan / Deutsche Grammaphon
Puccini
Tosca
Sabata / EMI
Purcell
Dido e Eneias
Lewis / Decca
Rachmaninov
Obras para Piano
Ashkenazy / Decca
Rossini
Barbeiro de Sevilha
Gelmetti / Decca
Schoenberg
Pierrot Lunar
Boulez / Deutsche Grammaphon
Schubert
Quinteto “A Truta”
Amadeus Quartet / Deutsche Grammaphon
Schubert
Viagem Inferno
Fischer-Dieskau / Deutsche Grammaphon
Shostakovich
The Jazz Album
Chailly / Philips
Shostakovich
Prelúdios e Fugas
Nikolayeva / Hyperion
Richard Strauss
Quatro Últimas Canções
Schwarzkopf / EMI
Stravinsky
Sagração da Primavera
Boulez / Deutsche Grammaphon
Tchaikovsky
Lago dos Cisnes
Fonteyn/Nureyev / Deutsche Grammaphon
Verdi
Aida
Guadagno / Warner
Verdi
La Traviata
Rizzi / Deutsche Grammaphon
Villa-Lobos
Bachianas Brasileiras
Angeles / EMI
Vivaldi
Quatro Estações
Biondi / Naive
Vivaldi
Stabat Mater
Alessandrini / Naive
Wagner
Tristão e Isolda
Bohm / Deutsche Grammaphon
Compilações
Maria Callas
Callas / EMI
Bomtempo
Requiem
Rogner / Numérica
Lopes Graça
Canções Heróicas
EMI
Seixas
Concertos para Cravo
Haugsand / Virgin





Sem comentários:

Posts Relacionados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...