follow me on Twitter

Post Aleatório

A Carregar...
Gadget by The Blog Doctor.

24.7.13

k7 pirata - #1: Melleril de Nembutal 1986/1987




Melleril De Nembutal

1. Emma Amma - maquete Dez.86 - 0:00 a 2:57
2. A Casa - 2:57 a 8:17
3. Samuel - 8:17 a 10:32
4. Lagarctil - 10:32 a 15:19
5. 9 de Outubro (1ª Parte) - 15:19 a 16:00
6. Mishima - 16:00 a 22:56
7. Vasija de Barro - 22:56 a 26:25
8. Dança dos Arco-Íris (Séc. XXI) - 26:25 a 31:11
9. 9 de Outubro (2ª Parte) - 31:11 a 33:22
10. Ku Klux Kristan - 33:22 a 36:37
11. Movimentos Córeicos - 36:37 a 40:13
12. 10 de Outubro - 40:13 a 41:52
13. Tohu Bohu (Improviso das Caixas) - 41:52 a 46:54
14. Carrossel - 46:54 a 48:00
15. Flying Tota - 48:38 a 51:15
16. Trevor Watts (O Estrangeiro) - 51:15 a 54:52

2, 3 e 4 - Ao Vivo No Rock Rendez-Vous, 28.11.1986
5 a 11 - Ao Vivo no Luís Armastrondo, 09.10.1987
12 a 15 - Ao Vivo no Luís Armastrondo, 10.10.1987

Melleril de Nembutal, Pot-Punk Portugal, New Wave Portugal, Luis Armastrondo, Tradiconal-Experimental, Rock Rendez-Vous






22.7.13

Descoberta bandcamp da semana 15.07.2013 a 22.07.2013


Insect Ark

Long Arms - 10"

Insect Ark é Dana Schechter, uma vez elemento dos Angels of Light de Michael Gira, aqui a solo, usando apenas um sampler, um bass, e um teclado. Mas apesar dos parcos meios a sua música é cheia, densa, por vezes ruidosa, mas donde surge sempre à tona um ritmo que torna a mesma audível e ao mesmo tempo audaciosa. esperemos por trabalhos de maior fôlego e deliciemo-nos, para já, com estas três bonitas faixas.




Aqui podemos vê-la em acção, ao vivo...




Livros sobre música que vale a pena ler (e que eu tenho, lol) - Cromo #34: Miguel Esteves Cardoso - "Escrítica Pop - Um Quarto Da Quarta Década Do Rock 1980 - 1982"


autor: Miguel Esteves Cardoso
título: Escrítica Pop - Um Quarto Da Quarta Década Do Rock 1980 - 1982
editora: Editorial Querco
nº de páginas:365
isbn: N/A
data:1982




sinopse:

Há em Miguel Esteves Cardoso dois Miguéis Esteves Cardoso, o paciente recenseador de músicas que aqui se lê e o outro, o ficcionista, ainda sem estórias publicadas e não sei se escritas. Mas que esseoutro existe, aposto dobrado contra singelo: muitas das prosas críticas deste livro são já 'plots', fábulas, ficções, tudo servido por um uso pessoalíssimo da língua, não transmissível a epígonos.
Sobre músicas (e músicos) pode escrever-se de muitas formas. Nos melhores momentos de humor a técnica de Miguel Esteves Cardoso consiste em agarrar um 'rocker' pelo pescoço, dar-lhe duas voltas no ar e batê-lo de encontro à rocha do estilo, como se fosse um polvo da beira-mar. Dessa crueldade pescadora salvam-se as paixões, bem entendido, e algum mito sobrenadando na babugem dos dias, mas que há-de ter cuidado porque da próxima leva na mona.
Do talento não falo: parece-me evidente, com o único senão de fazer uma legião de invejosos. Os dois - ou três, ou quatro - Miguéis Esteves Cardoso andariam avisados se tentassem, por uns tempos, o epigrama.
Ou, mais modesta ainda, a interjeição.






21.7.13

Livros sobre música que vale a pena ler (e que eu tenho, lol) - Cromo #33: Sérgio Godinho e Arnaldo Saraiva - "Canções de Sérgio Godinho"


autor: Sérgio Godinho e Arnaldo Saraiva (estudo crítico e notas)
título: Canções De Sérgio Godinho
editora: Assírio & Alvim
nº de páginas: 192
isbn: N/A
data:1977




sinopse:

A Canção E a Canção de Sérgio Godinho
Aqui e agora, a canção é, ainda, sinal de divisão. Há os que, fanáticos, mesmo que não inscritos em fan-clubes, não podem ou não sabem viver sem ela: os que por ela se colam ao transístor, ao rádio, à televisão, ao pick-up, ao gravador, ao juke-box; os que morreriam se perdessem, ao vivo ou em transmissão, um festival, um music-hall, um serão para trabalhadores, um canto livre (ou equivalentes), um programa de discos pedidos; os que sabem tudo da vida e da obra de um (de uma) cançonetista; os que, sós ou em grupo, no trabalho ou no descanso, parados ou em viagem, ao ar livre ou em casa, não passam uma hora sem trautear, cantarolar, interpretar as velhas ou as novas canções da moda.
Mas há também os que recusam a canção - por vezes com um fanatismo que pede meças ao dos que a defendem: os que a acham (só) ligeira, banal, medíocre, repetitiva, cansativa, deseducativa, alienante.
Não é difícil dar o nome geral de uns e outros, que aliás se dividem também perante outras produções que circulam na sociedade de consumo: as massas - e os intelectuais; as pessoas vulgares - e as élites. [...]






6.7.13

Descoberta bandcamp da semana 01.07.2013 a 08.07.2013


WARM DIGITS - INTERCHANGES

Os Warm Digits podem não ser muito originais (mas quem se pode gabar hoje disso?), misturando os anos 70 e 80, isto é o krautrock, versão motorika dos Neu! com a new wave mais coldwave baseada nos Moogs e outros teclados.
O que acontece é que o resultado, apesar das influências evidentes é muito agradável, sobretudo agora que o verão e o calor puxam por uma música mais fresca.
Vale a pena conferir.
Eu por mim vou fazer agora a encomenda... que a edição é limitada!





E como não são novatos, possuindo, pelo menos mais um álbum anterior e outras participações em outros discos, fica aqui um excerto duma actuação ao vivo...





4.7.13

Livros sobre música que vale a pena ler (e que eu tenho, lol) - Cromo #32: Mark E. Smith (with Austin Collings) - "Renegade - The Lives And Tales Of Mark E. Smith"


autor: Mark E. Smith (with Austin Collings)
título: Renegade - The Lives And Tales Of Mark E. Smith
editora: Penguin Books / Penguin Music
nº de páginas: 240
isbn: 978-0-141-02866-8
data: 2009 (Viking - 2008 - 1st)


sinopse:

'Tenho andado por aí há muito tempo, então porquê desistir agora? Isto é tudo o que os Fall são, de qualquer modo: o esforço persistente, esforço que se dirige directamente ao enfrentamento, a recomeçar sempre, e as vezes em que o grupo atinge a excelência e tu vais depois tomar uma bebida...'

'Vociferante, furioso, inflamado... pode ser o mais divertido livro de música de todos os tempos' OBSERVER

'Indizivelmente engraçado... um motim de visados e culpados e liquidados. Smith gere as coisas para ter sempre pronta uma gargalhada pronta, e revela-se como uma figura importante e deslumbrante' INDEPENDENT TODAY

'Notável, brilhante. Um prazer provocativo. Smith vocifera arrebatamento como uma fonte furiosa de lâminas, invectivas sobre a sua infância e os primórdios dos The Fall, relações/casamento, a indústria musical/músicos e os seus pontos de vista sobre tudo, desde o futebol aos telemóveis, desde as drogas à bebida, desde os livros à bancarrota, passando por Paul Morley e os pubs. Imbatível' TIME OUT

'Absorvente, denso, com nível de detalhe fascinente. Tanto como memória e como história cultural, Renegade é notável.' DAILY TELEGRAPH

'Smith é quase tão sólido como narrador como os membros dos Motley Crue o foram no seu depravado livro de memórias The Dirt. E também tão divertido.' SCOTSMAN










3.7.13

Livros Sobre Música Que Eu Ando A Ler E... (Resumo 1º lote)








Aqui fica o resumo do primeiro lote de livros que já mereceram posts próprios neste blog.

São 31, e como ainda há muitos mais aqui por casa, o segundo lote inicia-se dentro de momentos...
Podem ver ou fazer download do Scribd, para que consigam ver melhor. Eu não consegui melhor, face a este template do blogger que estou a usar :-(
Abraços.





Posts Relacionados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...