follow me on Twitter

Post Aleatório

A Carregar...
Gadget by The Blog Doctor.

28.10.16

Memorabilia: Revistas / Magazines / Fanzines (253) - Flirt - Magazine


Flirt

Magazine

Flirt
Nº 7
Fevereiro de 1999
34 páginas A4 em papel cartonado a preto e branco matizado (cinzentos...)



Revista tipo Time Out de apresentação e divulgação de eventos
Conteúdo:
Roteiro Mensal de Espectáculos: Cinema, Música
Paisagens Urbanas
Artes Visuais
Salas de Espectáculo
Cidades: Coimbra
Livros e Conferências
Discos
Media e etc.
Bagagem para o próximo milénio

Worst of...

Discos

To Rococo Rot + D, TRRD, CD Soul Static 98
O ruído de superfície que permeia todo o disco representa uma mais-valia em termos de conforto. A audição oferece-se antiga numa simulação nostálgica de acontecimentos que nenhum de nós viveu – nada de palpável, mas o som define épocas próprias, locais próprios. Electrónica para o lar, quando o clima exige uma situação quente. Sem cocktails, «TRRD» desperta contudo o animal ocioso que todos albergamos.
José António Moura

Experimental Audio Research, Data Rape, CD Space Age, 1998
Ex-Spacemen 3, futuro engenheiro do Cosmos, Sonic Boom (E.A.R.) violou os circuitos internos de oito brinquedos «Speak & Spell» da Texas Instruments (1970’s) e reordenou as suas coordenadas electrónicas. Isto são os factos, mas o ruído resultante é puramente dirigido aos amantes de ficção. Criem as vossas histórias.
José António Moura.

Quando A K7 É Palavra
Na era digital, que valor o do vinil e a k7? Sendo ambos suportes, os veículos de divulgação por excelência de um vasto número de artistas underground, apesar dos avanços tecnológicos, muita!
É neste circuito que se lançam variadas sementes, imbuídas do espírito do-it-yourself. Se esse campo conduz a uma excessiva oferta (não em Portugal), por outro permite-se bem seleccionado espreitar o futuro. Uma previsão parcial é possível na escuta das “Mix Tapes” (K7) de Kronic, Dj Lexo, Chico (colectivo Raska), Dj Assassin ou Bomber Jack (também em CD).
Os “sets” (quase todos live) e a atitude dos artistas revelam que o hip hop nacional, de forte circuito de rua, paralelo a outras produções, está vivo e de boa saúde. Para crentes do “hip hop is a way of life”, perspicaz senhores da indústria ou quem goste de hip hop, recomenda-se. O puzzle completa-se...
Para quando Mix Tapes de outros sons?
Chico, thank you for the tapes.
Nuno Rosa





Sem comentários:

Posts Relacionados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...