follow me on Twitter

Post Aleatório

A Carregar...
Gadget by The Blog Doctor.

23.11.13

"Zeuhl" - Parte 4: "O Zeuhl à Volta do Mundo", secção 9/9: Japão




Parte 4 – O Zeuhl À Volta Do Mundo

Nota: Como o Zeuhl é um conceito tão abstracto, recomendamos vivamente que, antes de ler este artigo, leia os anteriores (partes 1 a 3). Depois, então, pode ser que tudo faça mais sentido.

Nos três anteriores artigos você leu, sem dúvida, tudo o que há para saber sobre o Zeuhl, e se este for um tema de interesse para si, certamente que os leu com atenção redobrada.
No anterior vimos o legado do movimento e, reparámos, entre muitas outras coisas, que o Zeuhl permeou também o RIO, para além de outros movimentos.
Mas... e no mundo? Bem, você conseguirá encontrar referências Zeuhl nos lugares mais improváveis, e existem inúmeras dedicatórias bizarras ao espírito dos Magma, à linguagem Kobaia e ao Zeuhl em geral. Neste artigo vamos tentar destilar o interessante e o curioso, numa qualquer forma de viagem coerente, ao longo do globo.


Japão


Todos sabemos que os japoneses adoram copiar e reinventar coisas, não sendo por isso surpresa que tenha havido montes de invenções estranhas do tipo Zeuhl ao longo dos anos. Eis uma panorâmica de algumas que encontrámos ao longo do tempo...

Entre os primeiros exploradores: Il Berlione foram uma espécie de fusão RIO étnico/de câmara com pinceladas de Univers Zero e Art Zoyd. Os Lacrimosa também cabem nos mesmos sapatos, como soe dizer-se, apesar de o seu álbum BUGBEAR possuir um lado Oriental muito mais forte.

Na frente Japonesa mais barulhenta existe uma série de bandas inspiradas pelo movimento e música Zeuhl. Os mais conhecidos (apadrinhados por John Zorn e Derek Bailey) são os Ruins. tocam uma fusão entre o Zeuhl e o free-jazz, e ainda quase tudo o mais que consigam atirar para o caldeirão que é a sua música. Os Koenji estão ligados com os Ruins e aplicam a ética “Japanoise” a uma fusão inspirada nos Magma. O seu álbum HUNDRED SIGHTS OF KOENJI é como se tivesse sido espancado com uma furiosa guincharia como aparece nos Magma de KOHNTARKOSZ e UDU WUDU, encimado com vocalizações selváticas. Se puder, imagine os Fushitsusha a interpretar os Shub Niggurath mais selvagens! Os Bondage Fruit pegam numa série de estilismos folk e fusão jazz europeus, antes de lhe adicionarem uma faceta Magma maniáca, com vocalizações femininas múltiplas e baixo dominante, misturado com tudo menos o lavatório da cozinha! Por vezes fazem lembrar os Eskaton, mas com um lado metálico muito mais pronunciado! Os trabalhos mais recentes relembram os Nekropolis e os King Crimson, e também o riffing e o lado free-rock dos Mahavishnu, tornando-se cada vez menos Zeuhl.

Os Happy Family são, sem dúvidas, as estrelas da tradição RIO/Zeuhl japonesa, uma banda que mergulhou neste complexo género musical, criando o seu próprio estilo, furioso e excessivo. Onde os Bondage Fruit e os Koenji tendem a falhar no equilíbrio artístico, os Happy Family parecem ter tudo na proporção exacta. Juntem uma parte RIO (Henry Cow, Univers Zero, Present, The Muffins), uma parte Zeuhl (Weidorje, Magma da época de UDU WUDU), adicionem a técnica Japonesa, e um lado rock muito forte (um pouco do estilo tipo moderno como o dos Cartoon ou Birdsongs of the Mesozoic), e obtêm os Happy Family! Zeuhl comandado por guitarra, uma música cheia de solos, e complexidade furiosa, o seu trabalho inicial, ao vivo, em formato cassete, foi saudada com espanto, e o seu CD epónimo a mesma coisa. Em TOSCCO eles levaram o seu estilo de fusão para um território novo, mais complexo ao nível de prog rock, fazendo crescer água na boca para saber onde eles irão a seguir.



Il Berlione – 3 faixas em: LOST YEARS IN LABYRINTH (CD: Belle Antique BELLE 9119) 4-5/90+5/91    1991
Il Berlione – IL BERLIONE (CD: Belle Antique BELLE 9229)   1992
Il Berlione – IN 453 MINUTES INGERNAL COOKING (CD: Belle Antique BELLE 9483) 1994
Bi Kyo Ran – GO-UN (CD: Belle Antique BELLE 95149) 9/95  1995
Bondage Fruit – Bondage Fruit (CD: Isis ISI-0111) 1994
Bondage Fruit – II (CD: Maboroshi No Sekai MABO-006) 1996
Bondage Fruit – III – RÉCIT (CD: Maboroshi No Sekai MABO-009) 1997
Derek & The Ruins – SAISORO (CD: Tzadik TZ 7202) 199?
Happy Family HAPPY FAMILY (CD: Cuneiform RUNE 73) 1994 1995
Happy Family – TOSCCO (CD: Cuneiform Rune 93) 1997
Koenji – HUNDRED SIGHTS OF KOENJI (CD: God Mountain 2.800) 199?
Lacrymosa – BUGBEAR (LP: ?) 8-10/84 (CD: SSE-8201) «+ “Flash Lacrymosa” single & 5 faixas de bonus (6-8/83)» 1993
Lacrymosa – Flash Back / Metamorphosis / Lacrymosa (7”: LLE-3004) 7+9/85 1985
Lacrymosa – JOY OF The WRECKED SHIP (CD: SSE-4033) 10-12/93 1994
Ruins – HYDEROMASTGRONIGEM (CD: Tzadik TZ 7202) 199?
Tipographica – TIPOGRAPHICA (CD: God Mountain GMED 005) 199?
Tipographica – MAN WHO DOES NOT NOD (CD: Pony Canyon) 199?
Tipographica – GOD SAYS I CAN´T DANCE (CD: Pony Canyuob PCCR-00204) 199?
Tipographica – FLOATING OPERA (CD: Sistema Records SICD-1) 1997
Zypressen – 2 faixas em: LOST YEARS IN LABYRINTH (CD: Belle Antique BELLE 9119) 4-5/90+5/91 1991
Zypressen – ZYPRESSEN (CD: Belle Antique BELLE 96195) 1996








Sem comentários:

Posts Relacionados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...