follow me on Twitter

Post Aleatório

A Carregar...
Gadget by The Blog Doctor.

18.4.15

Memorabilia: Revistas / Magazines / Fanzines (56) - Music From The Empty Quarter - Nº 4 - Maio de 1992


Music From The Empty Quarter
Nº 4 - Maio de 1992
£1.50
84 páginas A5 a p/b, sendo capa e contracapa em papel brilhante grosso
ISSN 0964-542X




CAN

Os Seminais



CAN? - Communism, Anarchism, Nihilism! De acordo com a resposta provocadora de Irmin Schmidt a um conjunto de jornalistas em 1984. Um mito e misticismo e um constante fascínio para os fãs e os media,
mesmo que o verdadeiro significado por detrás da escolha do seu nome permaneça uma espécie de enigma.Foi dito que os membros da banda sentiram que não haveria nada que eles não conseguissem atingir, daí CAN. Formados em Colónia, em Junho de 1968, no meio de um ambiente prevalecente de desilusão estudantil e política que atravessava a Europa, os motins estudantis de Paris haviam tido lugar apenas um mês antes. Sem qualquer conceito por trás, a não ser fazer música como um colectivo democrático a sua filosofia política era igual em importância à sua música e os CAN rapidamente se viram envolvidos por uma
espécie de idealismo musical, espiritual e político.

Os elementos fundadores Holger Czukay, David Johnson, Michael Karoli, Jaki Liebezeit e Irmin Schmidt vinham de um largo espectro de backgrounds e tinham como influências músicos tão diversos como Stockhausen e os Rolling Stones, por exemplo; mas talvez a maior influência exterior do grupo fosse a que exerceu os Velvet Underground com os quais eles partilhavam a mesma vitalidade de espírito e energia da música. Passados alguns dias depois de se terem formado foram abordados pelo dono de um castelo, Schloss Norvenich, que mostrou interesse no seu trabalho. Rapidamente concordou em perimitir a utilização de uma das divisões do castelo como estúdio de gravação do grupo, que eles baptizaram, muito apropiradamente, de Inner Studio, e foi a partir deste estúdio (relocalizado para um cinema desocupado em Weilerswist em Dezembro de 1971) que os CAN iriam produzir a maioria do seu trabalho. Apesar dos avanços na tecnologia dos equipamentos de gravação, apenas em 1975 obtiveram acesso a um gravador completo de 16-pistas, pois até aí, e incluindo o LP de 1974, Soon Over Babaluma, tudo foi gravado utilizando dois modestos gravadores Revox. Ainda assim, e apesar disso, a profundidade, dimensão e complexidade das suas criações foram uma revelação. Através do seu processo de "composição instantânea", um princípio de espontaneidade, quase improvisação telepática, trabalhando sem qualquer fórmula prévia, quer em estúdio querao vivo, eles criaram uma música de tal pureza e intensidade que ainda hoje é inultrapassável. Apenas os Soft Machine funcionavam de maneira similar na altura, mas não há realmente qualquer comparação entre ambos os grupos.

Mesmo sabendo que a formação da banda foi comparativamente fluida, o baixista Holger Czukay, o guitarrista Michael Karoli, o baterista Jaki Liebezeit e o teclista Irmin Schmidt formaram o núcleo do grupo (David Johnson decidiu abandonar os CAN no final de 1968, depois de ter trabalhado como engenheiro de som no álbum Monster Movie). Para a maioria a época dourada do grupo vai de 1968 a 1973, o período com os seus dois vocalistas, Malcolm Mooney, um negro nova-iorquino, a trabalhar em Paris como escultor que se tornou cantor por aceidente. Ele foi apresentado a Hildegard Schmidt (a mulher de Irmin e a futura manager do grupo) por um amigo e foi convidado a visitar o estúdio dos CAN em Schloss Norvenich e apenas depois de chegar a Colónia se apercebeu que o que ele esperava que fosse um estúdio de artes era de facto um estúdio de gravação! Apesar da sua pouca experiência como cantor ele rapidamente se adaptou à sua nova vocação e empurrou os CAN numa nova direcção. Em Agosto de 1969 foi editado Monster Movie numa pequena editora alemã, a Music Factory, numa edição de apenas 500 cópias e a banda acabou receber um tal interesse e entusiasmo que essas cópias foram rapidamente esgotadas, permitindo-lhe estabelecer ainda um contrato com a United Artists que logo reeditou o trabalho. Com as vocalizações de Mooney, é um trabalho intenso e arrebatador com o hipnotizante Yoo Doo Right a ocupar todo o lado 2. Mas a agenda rigorosa de ensaios e gravações dos CAN, que tocavam 12 horas seguidas com nenhum ou poucos pequenos intervalos, foi uma factura demasiado pesada para ele e em Dezembro de 1969, apenas depois de 14 meses, sofria de uma severa fadiga nervosa e foi aconselhado a regressar aos Estados Unidos.

Os CAN não procuraram qualquer vocalista durante muito tempo, pois em meados de 1970 descobriram Kenji 'Damo' Suzuki em Munique... e que descoberta ele foi! Dizer que o estilo vocal de Damo era único seria um grosseiro mal-entendido, as suas perfomances eram totalmente espontâneas, quer ao vivo quer em estúdio. Ele impriovisava a um tal ponto que a sua voz se tornava em mais um instrumento da banda e o que as palavras queriam dizer tinha pouca relevância para a música porque tudo era feito na hora, por assim dizer. Ele permaneceu com os CAN até Setembro de 1973, altura em que abandonou o grupo para se tornar uma Testemunha de Jeová, deixando atrás de si três dos melhores LPs de sempre da banda - Tago Mago, Ege Bamyasi e Future Days.
Tago Mago é um álbum duplo de conteúdo intenso e mágico; com a bateria soberba e perpetuamente hipnótica de Jaki, os teclados rotativos e guitarras agitadas, entrelaçados por Irmin e Michael, tudo pontuado pelo baixo minimal de Holger, apara além do embelezamento final devido às vozes de Damo, fortemente carregadas e intensas - com a excepção de Aumgm, uma peça ritualística, de Aleister Crowley, potencialmente disponibilizada por Irmin. Ege Bamyasi é um trabalho de desolação e tensão com uma atomsfera telúrica, particularmente me Sing Swan Song e Vitamin C com o seu padrão ciclíco de bateria, dois exemplos dos CAN com Damo, todos no seu melhor. Também incluída neste álbum está a faixa Spoon, uma das peças favoritas da banda e talvez aquela com que obtiveram maior sucesso, atingindo o Nº 1 na Alemanha, onde foi também editada como single. O nome foi depois adoptado por Hildegarde para lançar a sua própria editora. O contyrastante Future Days irradia calor do princípio ao fim, cada uma das quatro faixas repletas de alma, fechando com os 20 minutos de Spare A Light (intitulada Bel Arion na edição alemã do LP e depois também na reedição britânica em CD) tudo brilhando como o mar num dia de sol.
Com a perda de Damo a banda pareceu ter perdido qualquer coisa, sobretudo em respeito à direcção a tomar a seguir, tendo entrado então num período confuso quer quanto às suas aparições ao vivo quer mesmo quanto a trabalhos em estúdio. Mas o LP de 1974, Soon Over Babaluma, reafirmou a sua posição como a força mais significativa do panorama musical contemporâneo e incluía Dizzy Dizzy, outra daquelas peças "catchy" mais infecciosas, com vocalização deliciosa de Michael. Irmin também canou no álbum e com a excepção de Limited/Unlimited Edition e a retrospectiva Delay 1968, os dois tomaram conta de todas as futuras vocalizações até ao disco de reunião, em 1989, Rite Time, que tinha Malcolm Mooney de volta ao couraçado.

1975-77 viu os CAN à procura de um som mais recompensador comercialmente com a edição de Landed (1975), Flow Motion (1976) e Saw Delight (1977). Cada um deles tem os seus momentos altos, especialmente Hunters And Collectors e Full Moon On The Highway (que era na realidade uma composição de Damo Suzuki) em Landed, e I Want More tirado de Flow Motion como single, no Reino Unido (o seu ritmo hipnótico permitiu-lhe entrar no Top 30). Landed foi o primeiro disco gravado na sua nova máquina de 16 pistas, que também teve grande influência na nova direcção que a sua música tomou.
Os CAN embarcaram para a sua última digressão em 1977, passando por Portugal, Espanha e Suiça, além dos países habituais, a Grã-Bretanha, França e Alemanha, e o que é surpreendente é que tendo em conta
a grande quantidade de digressões e concertos que fizeram, nunca editaram nenhum álbum ao vivo.
Out Of Reach e CAN foram editados em 1978 e 1979 respectivamente e embora seja justo dizer que os CAN prometiam regressar à sua grande forma, especialmente depois do, de algum modo, desapontante
predecesssor, a banda entrou antes numa maré baixa. Isso deveu-se em parte à influência do ex-Traffic Reebop Kwaku Baah e a Rosko Gee que passaram a esatr envolvidos com o grupo e teve a ver com o seu preemtivo Saw Delight, um disco orientado para a world music. Com isto Holger ficava cada vez mais desiludido com o seu papel na banda e havia muita tensão no ar.

Nos finais do ano de 1978 os CAN decidiram acabar com a banda e cada um dos seus membros prosseguiu a sua carreira a solo. Contudo, o destino prega-nos partidas e eles voltaram a reunir-se com o vocalista original, Malcolm mooney, em 1986, para gravaraem as sessões, das quais resultou na edição do soberbo, altamente polido, mas incompreendido velho som dos CAN, corporizado no álbum Rite Time em 1989.

Apesar de os membros da banda actualmente viverem em países diferentes, não está posta de parte a hipótese de darem um pequeno número seleccionado de concertos pela Europa; e tendo como constatação o sucesso recente dos seus velhos álbuns, recentemente reeditados pela Spoon, o interesse na banda subiu em flecha. Porventura os fans terão de esperar mais algum tempo até verem editado o precioso espólio que
está guardado nas tapes gaurdadas pelo grupo, resultantes das suas incontáveis e intermináveis sessões, e que constituem centenas de horas de música. Certamente serão recebidas com o mesmo entusiasmo que obteve a edição de Delay, um álbum de sessões de 68/69, com Mooney como vocalista, e que apenas foi editado em 1981. A edição para breve de um vídeo, recentemente mostrado em ante-estreia a um grupo restrito de pessoas em Londres, é um desenvolvimento significativo e um bom augúrio.

O esforço a solo dos vários membros da banda é um pouco uma "misturada", mas o que é certo é que as gravações oficais da banda atingiram um status cultural que se mantém intocável. Alguém disse uma vez que os CAN são mais originais do que é possível ser-se original. Investigue a sua música e descobrirá por si próprio o quão justa esta frase é, e para alguém com mais do que um interesse passageiro pela banda, recomendo vivamente a leitura do livro The Can, de Pascal Bussy e Andy Hall, publicado pela S.A.F.

Citados como influência maior por muitas das bandas emergentes da cena New Wave dos finais dos anos 70, desde os ATV aos Wire e com um catálogo de edições que é um autêntico tesouro musical, os CAN merecem ser ouvidos por toda a gente, pelo menos uma vez!

DISCOGRAFIA DOS CAN
Todas as edições do Reino Unido (UK), originais da Liberty/U.A. e Virgin, foram já reeditadas pela Spoon.
Todas as edições alemãs originais pela Liberty/U.A. e EMI/Harvest, foram reeditadas pela Spoon em 1981

1968
KAMA SUTRA 1 & 2 - 7" - (Creditado a Irmin Schmidt)
1969
MONSTER MOVIE - LP
1970
SOUNDTRACKS - LP
SOUL DESERT / SHE BRINGS THE RAIN - 7"
1971
TAGO MAGO - DLP
TURTLES HAVE SHORT LEGS / HALLELUWAH - 7"
SPOON / SHIKAKU MARU TEN - 7"
1972
VITAMIN C / I'M SO GREEN - 7"
EGE BAMYASI - LP
SPOON / I'M SO GREEN - 7"
1973
FUTURE DAYS - LP
MOONSHAKE / FUTURE DAYS - 7"
1974
LIMITED EDITION - LP (15000 Copies)
SOON OVER BABALUMA - LP
DIZZY DIZZY / SPLASH - 7"
1975
THE CLASSICAL GERMAN ROCK SCENE - Compilation LP
LANDED - LP
HUNTERS & COLLECTORS / VERNAL EQUINOX - 7"
1976
UNLIMITED EDITION - DLP
OPENER - Compilation LP
FLOW MOTION - LP
I WANT MORE / ...AND MORE - 7"
SILENT NIGHT / CASCADE WALTZ - 7"
1977
SAW DELIGHT - LP
DON'T SAY NO / RETURN - 7"
1978
OUT OF REACH - LP
CANNIBALISM - DLP
1979
CAN - LP
1980
CANNIBALISM - DLP (Chain Reaction replaced by Spoon)
SPOON / SILENT NIGHT - 7"
1981
INCANDESCENSE 1969-1977 - LP
ROCK IN DEUTSCHLAND VOL.6 - CAN - LP
I WANT MORE / ...AND MORE - 7"
I WANT MORE / ...AND MORE / SILENT NIGHT - 12"
DELAY 1968 - LP
1982
ONLYOU - CASS IN TIN (100 copies)
1983
MOONSHAKE / TURTLES HAVE SHORT LEGS / ONE MORE NIGHT - 12"
1984
PREHISTORIC FUTURE - CASS (2000 copies)
1989
RITE TIME - LP
1990
CANNIBALISM 2 - DLP

Reedições em CD na Spoon 1989/90, disponíveis via Mute.
Reedições em CD nos EUA, via Restless Retro (em 1990). Mute/Spoon
LANDED e FLOW MOTION também foram editados em CD em 1987 pela Virgin.
OUT OF REACH editado em CD em 1988, pela Thunderbolt.
Os CAN também editaram na Thunderbolt, em CD, (com o título INNER SPACE, com Can Can e Ping Ping em ordem inversa) em 1986.
RITE TIME também em CD, em 1989, com a faixa extra In The Distance Lies The Future, na Phonogram.

Chris B.








Sem comentários:

Posts Relacionados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...